Como identificar transtornos alimentares? Entenda

Plano Familiar e Individual
Multiclínica agora oferece Plano de Saúde Pessoa Física para você e sua família!
10 de Janeiro de 2018
transtornos alimentares

Embora ainda sejam tratados como tema tabu, os transtornos alimentares, que se caracterizam por perturbações no comportamento alimentar, não são incomuns. Ao contrário do que muitas pessoas imaginam, eles podem causar um enorme impacto na qualidade de vida dos portadores, resultando em problemas físicos e emocionais.

Os portadores de transtornos alimentares sentem-se motivados a comer menos ou mais do que a quantidade habitual, levando a um comportamento fora do controle que pode trazer diversas consequências nocivas à saúde. Por isso, no post de hoje, você entenderá como identificar transtornos alimentares e, eventualmente, auxiliar alguém que esteja sofrendo com eles.

Transtornos alimentares mais comuns

Você sabia que, atualmente, os transtornos alimentares são considerados como uma das mais letais doenças psiquiátricas? Qualquer tipo de distúrbio alimentar impacta gravemente a saúde do portador, podendo resultar, até mesmo, na morte.

Existem diversos tipos diferentes de transtornos alimentares. Entre eles, destacam-se com maior frequência:

Anorexia Nervosa

Caracteriza-se pela perda voluntária de peso, motivada pelo desejo de emagrecer e o medo de engordar. Os comportamentos mais comuns da doença são a redução da alimentação, excesso de exercícios físicos, utilização de redutores de apetite e laxantes e vômitos provocados. Assim, o portador de anorexia tem como resultado a desnutrição progressiva e transtornos físicos e mentais.

Bulimia

Caracteriza-se pelo consumo excessivo de alimentos em uma única refeição, seguidos de episódios que buscam contar ou amenizar os efeitos da compulsão – vômitos autoinduzidos, uso de laxantes, excesso de exercícios físicos.

Geralmente, os portadores de Bulimia ocultam suas ações, pois se envergonham de seus atos. Os problemas mais comuns dos portadores do transtorno são a perda de potássio, inflamação do esôfago, desequilíbrio eletrolítico e danos no esmalte dos dentes.

Transtorno de Compulsão Alimentar Periódica (TCAP)

Caracterizado por episódios sequenciais de compulsão, o transtorno de compulsão alimentar difere-se da Bulimia, pois não é seguido de métodos purgativos e não apresenta preocupação irracional com a forma corporal. Os portadores do transtorno possuem ataques frequentes, só conseguindo parar de comer ao sentirem desconforto físico.

Sintomas e tratamento de transtornos alimentares

Comer de forma extrema (quantidades mínimas ou muito grandes), receio exagerado de ganhar peso e possuir uma autoimagem corporal que difere da realidade podem ser sinais de distúrbios alimentares. Outros sintomas também podem surgir, porém, irão depender de cada transtorno alimentar.

Por isso, é importante estar atento a mudanças físicas e de comportamento do portador.

1. Sinais de alerta da Anorexia

  • Peso muito abaixo do normal;
  • Preocupação em não aumentar o peso;
  • Distorção da imagem corporal;
  • Inibição do ciclo menstrual (mulheres);
  • Gastrite;
  • Anemia.

2. Sinais de alerta da Bulimia

  • Dor de garganta;
  • Problemas nas glândulas salivares;
  • Erosão do esmalte dentário;
  • Irritação intestinal (uso abusivo de laxantes);
  • Desequilíbrio de eletrólitos.

3. Sinais de alerta Transtorno de Compulsão Alimentar Periódica

  • Comer de forma exagerada, mesmo sem fome;
  • Dificuldade para parar de comer;
  • Consumo de alimentos estranhos (macarrão cru, feijão gelado, etc.);
  • Comer muito rápido e escondido;

Os transtornos alimentares são tratáveis, através de acompanhamento médico e psicológico. Os planos de tratamento são adaptados a cada indivíduo, por isso, se diferenciam. O Ministério da Saúde explica que familiares e amigos precisam estar atentos aos sinais de transtornos alimentares. Quanto antes o distúrbio é identificado, melhores são as chances de recuperação.

Fique atento aos sinais e ajude a prevenir os transtornos alimentares. Se você gostou deste artigo, compartilhe em suas redes sociais!

 


Compartilhe e deixe seu comentário abaixo!

87 Compart.
Compartilhar87
+1
Twittar
Compartilhar