Fique atento às principais causas de gordura no fígado

Multiclínica Informa - Imagem Destaque
Inclusão da prestadora Barbara Schneider Eisele
14 de março de 2018
Multiclínica Informa - Imagem Destaque
Inclusão do prestador Vitta Clin
17 de março de 2018
causas de gordura no figado

Má-alimentação, sedentarismo, pressão alta e complicações na tireoide: esses são apenas alguns dos fatores que contribuem para a formação da gordura no fígado, a disfunção hepática mais comum em todo o mundo.

No artigo de hoje, você vai compreender as principais causas de gordura no fígado e receberá dicas para evitar e tratar o problema. Continue a leitura para descobrir!

Entenda as maiores causas de gordura no fígado atualmente

O fígado é uma glândula situada no lado direito do abdômen, por onde circula uma grande quantidade de sangue. Considerado o segundo maior órgão do corpo humano, o fígado exerce mais de 500 funções fundamentais para o funcionamento do organismo.

Também chamada de “esteatose hepática”, a gordura no fígado ocorre quando a gordura, com o passar dos anos, passa a se alojar no órgão. O fígado possui normalmente pequenas quantidades de gordura, que compõem cerca de 10% do peso corporal. Porém, quando a gordura excede esse percentual, nos deparamos com um fígado que está acumulando gordura, sobrecarregando, de pouco em pouco, as suas funções vitais.

As causas de gordura no fígado são classificadas em alcoólicas – provocadas pelo consumo excessivo de álcool – e não alcoólicas.

Alguns dos fatores de risco para o desenvolvimento do acúmulo de gordura do fígado não alcoólica são sobrepeso, diabetes, má alimentação, perda brusca de peso, gravidez, cirurgias e sedentarismo. Além desses fatores, a pressão alta, resistência à insulina, níveis elevados de colesterol e triglicérides estão associados à gordura excessiva no fígado.

Gordura no fígado apresenta sintomas?

O acúmulo de gordura no fígado pode levar anos até ser descoberto, pois o quadro não apresenta sintomas claros. Os sinais só começam a aparecer quando a doença já está em estado mais avançado. Assim, os primeiros sintomas costumam ser dor, cansaço, fraqueza, perda de apetite e aumento do fígado.

Em casos mais avançados, quando o quadro inflamatório se instala, a gordura no fígado apresenta sintomas mais graves, como hemorragias, icterícia e acúmulo de líquido na cavidade abdominal.

Gordura no fígado tem cura? Veja dicas para evitar e tratar o problema

Estima-se que 30% da população mundial apresenta gordura no fígado e que cerca de metade dos portadores poderão evoluir para formas mais graves da doença. Quando não tratado, o distúrbio gera complicações como cirrose e, até mesmo, câncer.

Nesse sentido, é importante entender maneiras de prevenir o quadro, evitando o avanço da doença. O ideal é prevenir os possíveis causadores do acúmulo de gordura no fígado, como a obesidade, triglicérides, colesterol alto, diabetes, entre outros. Para isso, mantenha uma vida saudável, faça exercícios regularmente e tenha uma alimentação equilibrada.

Pelo fato da doença ser silenciosa, é importante realizar consultas periódicas com um profissional da saúde de confiança. Para agendar um atendimento com médicos especializados, entre em contato com a Multiclínica!

Então, gostou do artigo? Se o conteúdo foi relevante para você, compartilhe em suas redes sociais!

 


Compartilhe e deixe seu comentário abaixo!

833 Compart.
Compartilhar833
Twittar
+1
Compartilhar